Seja Bem Vindo, agora são:, do dia:
Ministérios
Bíblia
Entretenimento
Notícia

Rolling Stones e 1,5 milhão de pessoas

Este foi o título da música escolhida pelos Rolling Stones para abrir seu show na praia de Copacabana, Rio de Janeiro, no último dia 18 de fevereiro de 2006. Cerca de 1,5 milhão de pessoas assistiram ao show. Mick Jagger entrou vestido de preto com uma roupa roxa por dentro e apresentou a música. A mídia deu conta de 203 ocorrências criminosas durante o show, entre furtos, uso de entorpecentes e esfaqueamentos.

Eu confesso que fiquei estarrecido com a canção que foi escolhida para a abertura do show, pois não apenas o título, mas a letra da música é de um insulto inexplicável à pessoa de Deus. Na verdade a letra é uma mensagem satânica. Veja a tradução:
 

Sympathy for the Devil

Por favor me permita apresentar-me
Sou um cara de riquezas e gostos
Eu estive por aí por muito, muitos anos
Roubei muita alma e fé
E eu estava lá quando Jesus Cristo
Teve seu momento de dúvida e dor
Esteja certo que o maldito Pilatos
Lavou suas mãos e selou seu destino 

Grato por te encontrar
Espero que você adivinhe meu nome
Mas o que está te intrigando?
Essa é a natureza do meu jogo
Eu me fixei em S. Petersburgo
Quando eu vi que era hora para uma mudança
Matei Czar e seus ministros
Anastácia chorou na sua vaidade
Eu andei em um tanque
Mantive-me numa posição de general
Quando a guerra enfureceu
E os corpos federam

Grato por te encontrar
Espero que você adivinhe meu nome, oh yeah
Mas o que está te intrigando?
Essa é a natureza do meu jogo, oh yeah
Eu assisti com alegria
Enquanto seus reis e rainhas
Lutaram por dez décadas
Pelos deuses que eles criaram
Eu comecei a gritar,
"Quem matou os Kennedys?"
E depois de tudo
Era você e eu
Deixe-me, por favor apresentar-me
Eu sou um cara de riquezas e gostos
E eu coloquei armadilhas para trovadores
Quem estava morto antes deles atingirem Bombay

Grato por te encontrar
Espero que você tenha adivinhado meu nome, oh yeah
Mas o que está te intrigando?
Essa é a natureza do meu jogo, oh yeah, desça, baby

Grato por te encontrar
Espero que você tenha adivinhado meu nome, oh yeah
Mas o que está te confundindo?
Essa é apenas a natureza do meu jogo
Assim como todo tira é criminoso
E todos pecadores são santos
Como cabeças são rabos
Apenas me chame de Lúcifer
Porque eu estou precisando de algumas restrições
Então, se você me encontrar
Tenha um pouco de cortesia
Tenha um pouco de simpatia, e um pouco de gosto
Use toda sua cortesia possível
Ou eu vou enterrar sua alma na solidão, um yeah

Grato por te encontrar
Espero que você tenha adivinhado meu nome, oh yeah
Mas o que está te intrigando?
Essa é a natureza do meu jogo, disponha, desça

Woo, who
Oh yeah, continue descendo
Oh yeah
Oh yeah
Oh yeah!
Diga-me baby, qual é meu nome?
Diga-me doçura, você pode adivinhar meu nome?
Diga-me amor, qual é meu nome?
Eu te digo uma vez, você é culpada
Oh, who
woo, woo
Woo, who
Woo, woo
Woo, who, who
Woo, who, who
Oh, yeah

Qual é meu nome?
Diga-me baby, qual é meu nome?
Diga-me doçura, qual é meu nome?

Os Rollins Stones gravaram esta música em 1968. Mick Jagger se inspirou no livro "The Master and Margarita", do médico e escritor russo Mikhail Afanasievich Bulgakov (1891- 1940). A obra foi escrita em 1928, revisada várias vezes, censurada, cortada, criticada e publicada, por fim, após sua morte, pela esposa do autor, Elena Shilovskaia, em 1966. Trata-se de uma novela sobre o bem e o mal. Em 1968 um documentário foi feito sob direção de Jean-Luc Godard, sobre a cultura western na Inglaterra e a música dos Stones foi tocada pela primeira vez na última cena desse filme. Agora vejam todos, Os Rolling Stones abrem o seu show no Brasil exatamente com um convite do diabo aos jovens quarentões, cinqüentões e sessentões brasileiros. Na verdade, a música é mais que um convite, trata-se de uma ameaça das trevas: "Então, se você me encontrar, tenha um pouco de cortesia.

Tenha um pouco de simpatia, e um pouco de gosto. Use toda sua cortesia possível ou eu vou enterrar sua alma na solidão, um yeah". Na música o Diabo se apresenta de forma clara: "Deixe-me, por favor apresentar-me: Eu sou um cara de riquezas e gostos..." e diz como prefere ser chamado: "Apenas me chame de Lúcifer, porque eu estou precisando de algumas restrições. "Um milhão e meio de pessoas, pulando e gritando e sendo levadas ao delírio embaladas por uma exortação diabólica.... empurradas por uma apologia dos desígnos demoníacos: "Eu estive por aí por muitos, muitos anos. Roubei muita alma e fé." A pergunta que não cala é o que pode levar tanta gente a ovacionar o diabo, sorrir com declarações tão pesadas e motíferas, dançar sob a regência daquele que veio "matar, roubar e destruir.." (João 10:10).
 
Incrível como você pode identificar estas três ações diabólicas na canção: destruição, roubo e morte. O que leva tantas pessoas a se entregarem com tanto gosto aos braços de Lúcifer? A resposta é um vida vazia de sentido, um coração magro de esperança, uma alma resequida sem amor e sem paz. Gente meio morta, sem horizonte e sem propósito para existir. Gente perdida e facilmente confundida pelo "jogo" do inimigo. Gente errante e sem Deus no mundo. Para conseguir não cair nos braços da desgraça e da morte, aquela multidão precisaria aceitar um outro convite. Este sim, cheio de amor, de paz, de segurança e de vida... e vida para valer.

O convite de Jesus não contracena com o de satanás, mas o anula e o reduz a nada. O convite de Jesus é de vida verdadeira, que começa aqui e agora e se projeta para a eternidade... e ressoa ecoando pelos séculos e milênios: "Vinde a mim, todos os que estais cansados e sobrecarregados, e eu vos aliviarei. Tomai sobre vós o meu jugo e aprendei de mim, porque sou manso e humilde de coração; e achareis descanso para a vossa alma". -(Mateus 11.28, 29 )



Autor: estudos

 Copyright © Comunidade do Evangelho Pleno | Todos os Direitos Reservados