Seja Bem Vindo, agora são:, do dia:
Ministérios
Bíblia
Entretenimento
Mensagens Pastoral

Dízimos e Ofertas

DIZIMAR - CERTO OU ERRADO?        

 Este não é um assunto muito abordado, mas é de tremenda importância para a igreja.

Muitas pessoas têm problemas sérios na área financeira por não contribuir ou contribuir de maneira equivocada.

         Pessoas inconstantes em seus dízimos tendem a ser instáveis na sua vida financeira. Pessoas que tem dificuldades para dar têm dificuldade para receber.

Nós precisamos entender que o nosso compromisso com o corpo, também é um compromisso financeiro.

 

O que é dinheiro?

v     É um meio de transação, um instrumento de troca de bens e mercadorias.

v     No A.T. todos os artigos serviam como troca (gado, prata, ouro, objetos)

v     A riqueza era medida pela quantidade desses bens que a pessoa possuía.

v     O primeiro metal que foi usado como instrumento de troca foi a prata. As pessoas trocavam bens por determinado peso em prata.

§         1 carro de guerra=600 siclos de prata

§         1 cavalo= 150 siclos de prata

§         1 siclo=11,4 gramas de prata

v     Dinheiro é uma potestade, ou seja ele tem poder em si mesmo. Exerce poder sobre as pessoas (Mt 6.24-mamom)

v     O dinheiro como uma potestade exige devoção; tem a tendência de conduzir as pessoas para longe de verdadeiro Deus.

v     O dinheiro possui muitas características de um Deus: dá segurança; dá liberdade; dá poder (sensação de onipotência); parece onipresente.

v     Um dos problemas mais sérios do dinheiro, é, que ele como um deus reivindica a lealdade e o amor que somente pertence ao verdadeiro Deus.

v     Temos que aprender a usar o dinheiro que Deus nos dá, sem amar o dinheiro.

v     O dinheiro pode ser um empecilho quando nos apegamos a ele, pois ele atrapalha o nosso relacionamento com Deus.

v     O dinheiro pode ser um incentivo quando bem usado e administrado.

v     A Bíblia nos fala de várias pessoas ricas que andaram com Deus e foram uma benção para o próximo (Jó, Abraão, Salomão).

 

Conceito errados:

v     O dinheiro é neutro (nem bom, nem mau), depende da forma que é usado.

v     O dinheiro não satisfaz.

v     Rico é quem tem muito dinheiro (visão mundo). Nós não somos ricos pela quantidade de dinheiro que possuímos. Uma pessoa rica pode ter muito dinheiro e ser pobre para Deus. Outras podem ter pouco dinheiro e ser ricas para Deus. Nós somos pobres quando o que temos é nosso, e somos ricos quando o que temos também é dos outros.

 

Qual a relação de Deus e o dinheiro? Ag 2.8; 1 Cr 29.12

v     Nestes textos vemos que tudo pertence a Deus, até o dinheiro que está no nosso bolso.

v     Nós somos administradores dos bens de Deus, e um dia seremos cobrados.

v     Sejamos bons administradores; usemos de acordo com a vontade de Deus; segundo as Suas prioridades; usemos para (dizimar, dar conforto a nossa família, pagar nossas contas e abençoar ou outros).

v     Deus não quer que sejamos escravos do dinheiro, ou amemos a ele e o sirvamos, e sim que façamos bom uso dele. (Aonde esta o teu coração aí esta o teu tesouro (Lc 12.34)).

v     O objetivo de Deus, não é nos tornar ricos, mas sim semelhantes a Jesus.

 

 

Dízimos

v     Dízimo - é a décima parte de qualquer coisa que se ganha. (Gn 14.18-24)

v     Dízima - é dez por cento da receita em dinheiro.

v     Deus é muito bom!

 

 

O dízimo é lei ou graça?

 

No Antigo Testamento veremos que antes de Deus constituir a lei do dizimo, pessoas já dizimavam (Abel, Abraão, Jacó, Melquisedeque).

      O dízimo foi depois incluído na lei (Lv 27.30-32; Nm 18.21-24; Dt 14.22-29) “o dízimo será santo ao Senhor”. Os que costumam dizer que não dão o dízimo porque é coisa da lei, deviam se lembrar dos homens que deram dízimo pela graça. Jesus não aboliu a lei, Ele a cumpriu (Mt 5.17-20).

      Salomão, que foi o homem mais sábio da terra, afirmou:”Honra ao Senhor com os teus bens e com as primícias de toda a tua renda e se encherão fartamente os teus celeiros, e transbordarão de vinho os teus lagares (Pv 3.9,10)”.

      No Novo Testamento veremos que em Jesus foi restaurado o tempo da graça (que existiu no tempo de Abraão); O N.T. não anula, cancela ou revoga o A.T. apenas modifica ou adiciona; Levi (Mateus) recebia dízimos, Jesus pagou dízimos; Pra que Jesus tinha um tesoureiro (Judas Iscariotes)? Certamente para recolher dízimos e ofertas!; O próprio Jesus ratificou a pratica do dízimo (Mt 5.20; 23.23)

 

Porque devemos dar o dízimo?

v     Porque Deus é misericordioso e bom, Ele só de pede 10% e nos manda viver do resto (90%).

v     Quer produzir em nós fé e obediência-Deus não precisa de dinheiro, Ele quer que dependamos Dele para o nosso sustento. Precisamos saber que tudo o que temos vem do Senhor e não do nosso salário.

v     Nós não damos o dízimo, e sim devolvemos ao Senhor aquilo que lhe pertence.

v     Por isso o dízimo tem que ser a primícias e não o que sobra.

v     Quem não dá o dízimo é infiel, desobediente e não acredita no suprimento divino.

 

 

Desculpas de quem não dizima:

v     Não entrego o dízimo mas dou ofertas - quem não oferta rouba a Deus. Ofertar é muito mais importante que dizimar, uma coisa não substitui a outra.

 

v     Eu administro meu dízimo - está errado (Trareis o dízimo a Casa do Tesouro). O dizimo deve ser entregue publicamente na igreja onde se é membro ou participante.

 

v     Não dou o dízimo porque ganho pouco - sendo o dízimo percentual, ele é proporcional a renda de cada um, portanto é uma desculpa injustificável.

 

v     Não dou porque não sobra - dízimo não é resto e sim primícias. Deve ser a primeira coisa que fazemos quando recebemos o salário. Deve ser dado por fé! Deus tem que ocupar sempre o primeiro lugar em nossas vidas, e em tudo que fazemos.

 

v     Não concordo com a administração da igreja-quando você entrega o dízimo esta entregando para Deus. Os administradores dos recursos de Deus, terão que prestar contas da sua administração ao Pai e você prestara contas do que não deu! Concordando ou não, devemos entregar o dízimo na igreja da qual somos membros ou participantes. Caso contrário procure outra igreja.

 

v     Quando não dizimamos o nosso dinheiro é gasto com médico, farmácia, hospital, batida ou roubo de carro, perda de emprego, etc)

 

v     O dinheiro que nos cabe entregar a Deus, em nossas mãos é maldição.

 

       Sempre que obedecemos a Deus somos abençoados: Ele diz que abrirá as janelas do céu: repreenderá o devorador, o migrador, o cortador, o destruidor; tornará a nossa semente frutífera, dará maior abastança, etc.

       Se olharmos somente pela graça, veremos que Deus não nos pede somente 10% e sim que tudo que temos e Dele. O mínimo que podemos dar é o dízimo, mas pelo advento da graça somos livres para dar mais.

 

 

OFERTAS

Ofertar é dar. Dar algo que nos custe alguma coisa, algo que nos é valioso. Não devemos ofertar ao Senhor algo que não nos custe nada.

A Bíblia sempre relaciona a oferta há algum tipo de sacrifício (Lv 6)

A oferta é de coração, pode ser com uma finalidade específica (oferta alçada). Ninguém deve ser forçado a ofertar. A oferta é obra de Deus no coração do homem, e não deve ser galardoada por aí (o que a tua mão direita der a esquerda não precisa saber).

 

Como devemos ofertar: com discrição; livremente; como ao Senhor e não aos homens; devemos ser generosos; deve ser prova de amor e confiança; deve ser de acordo com o que temos; deve ser para glorificar a Deus.

Não devemos ser legalistas: dar porque tem que dar; dar pra se justificar ou ser justificado; mercenários (algo em troca); não ser justos aos nossos próprios olhos.

 

Três princípios para ser ofertante na Casa do Senhor:

1-Amor

2-Fé

3-Sacrifício

 

Ex.: Oferta da viúva pobre (Mt 12.41-44)

 



Autor: Pb Jorge Coelho

 Copyright © Comunidade do Evangelho Pleno | Todos os Direitos Reservados